4 Meses Depois...

13 Jul

Nunca pensei que diria isso, mas o tempo hoje é algo tão escasso pra mim que até minha leitura anda atrasada...que dirá a atualização do meu blog ou diários!
Desculpem! É que neste momento a mamãe Juliana Rassi é prioridade, apesar de continuar executando todas as minhas funções profissionais (e outras em tantos papeis que nós mulheres exercemos).

Mas vamos lá, quero contar a vocês como tenho vivido esses últimos quatro meses...feliz, MUITO feliz! Depois da fase de conhecimento e também das benditas cólicas GRAÇAS A DEUS cessarem, tudo parece finalmente ter entrado nos eixos. Para isso, foi fundamental o estabelecimento de uma rotina com minha pequena. Laura chorou três meses seguidos com cólicas que só o tal colic calm resolveram. Entretanto, precisei dar sequência em rotinas com ela, ainda que considerasse esses momentos críticos. Conseguimos ensina-la a dormir no berço todos os dias no mesmo horário; ela aprendeu a amar a hora do banho e se acostumou a acordar uma ou no máximo duas vezes a noite pra mamar...mama e volta a dormir novamente...um anjinho!

Fácil? De jeito nenhum. Ser mãe é sim um grande desafio diário.

No meu último texto, minha filha tinha apenas um mês e dez dias. Hoje ela está com quatro meses e doze dias...quase sentando sozinha e muito engraçadinha! Interage muito com a gente! Inclusive estranhando algumas pessoas já...hahaha! Está aberta a temporada das desculpas pra quando ela começa a chorar: "liga não, ela está com sono!"; "acordou enjoadinha hoje"; "pode ser os óculos"... e por aí vai! Rs...

Tenho a sensação de ter envelhecido dez anos nesses poucos meses! Minha disposição já não é mais a mesma, em contrapartida, minha experiência parece alcançar de fato esses dez anos! Mãe desenvolve um feeling com suas crias que é incrível! A gente aprende a ler todos os detalhes do bebê, como o choro, os sinais de sono, os desconfortos com fralda suja ou algo incomodando na roupinha....ficamos especialistas em nossos filhos!

Também aprendi que nem sempre o que falamos antes do bebê nascer é o que fazemos na prática depois que nascem. Eu por exemplo, já queimei minha língua em inúmeras coisas. Eu dizia: "quando eu tiver filho, jamais vou andar atrás no carro. Para que isso? Coloca no bebê conforto e pronto!"...até hoje não andei nenhuma vez na frente com meu marido por inúmeros motivos: medo dela chorar e eu não conseguir resolver do banco da frente; medo da cabeça cair e ficar já que ela ainda não firmava bem o pescocinho; medo de vomitar...MEDO! Falava também: "vou acostumá-la a dormir no quartinho dela e de jeito nenhum deixarei dormir na minha cama!"...só dorme no quartinho dela durante o dia e as vezes também! E até comprar um bercinho portátil que deixo ao lado da minha cama, ela dormia num moisés que ficou pequeno. Resultado: dormiu por dias comigo e meu esposo até conseguirmos ir à loja resolver isso. Ela, dormindo super bem! Nós já não podemos dizer o mesmo, porque morríamos de medo de pegar no sono e a machucarmos! Deu tudo certo!
Meu sono também nunca mais foi o mesmo. Eu não imaginava que bebês engasgavam tanto e necessitavam de tantos cuidados assim. Querem ver outra coisa? Eu dizia: "minha filha não vai ficar no colo de jeito nenhum, senão crescerá manhosa! Não vou deixar!"... quanta besteira! Entendi nesse tempo que bebês tem necessidade de colo não por manha! Eles buscam segurança no calor e no cheiro da mãe. Além do que, passa tão rápido que daqui a pouco ela é que não vai querer mais colinho, por isso eu dou colo sempre que ela quer e quantas vezes ela quer. Ah, sobre a amamentação eu também falava: "Laura vai mamar de três em três horas!" Aham....hahahaha...ela mama o quanto quer e a hora que quer! Livre demanda é vida!!!

Com a rotina instalada e Laura mais tranquilinha, consigo hoje fazer várias coisas que antes eram mais difíceis como tomar banho (escovar os dentes ao acordar) e comer comida quente! Ela acorda sempre bem cedinho: por volta de sete e meia ou oito horas no mais tardar com um sorriso lindo e muito disposta! Dou banho e cuido de tudo pra ela em primeiro lugar...depois cuido de mim! Isso também é engraçado: todos os dias, quando ela já está arrumadinha e de banho tomado, a levo de frente ao espelho e comprovo o que muitas amigas me diziam antes... "filha linda e mãe um caco!" Hahahaha!!! Mas hoje, felizmente já consigo sair dessa situação rapidamente.

Bem, considero que depois que o puerpério passa e voltamos a fazer as pazes com a gente mesma, tudo fica muito mais leve! Até os momentos mais tensos em que o bebê demanda mais da nossa atenção, a paciência é maior e o autocontrole não cessa.

Hora nenhuma me arrependi de ter me tornado mãe, mas não posso negar que, para uma mãe de primeira viagem, o primeiro mês de vida do bebê é tenso...mas PASSA! Graças a Deus, PASSA! A vida segue e nos presenteia com lindos sorrisos, olhares apaixonados e grandes descobertas de um serzinho encantador que faz com que o amor tenha um sentido tão maior e mais sublime.
Ah, o amor de uma mamãe por sua cria...isso sim é realmente amor de verdade!

Juliana Rassi

Formada em Administração de Empresas pelo UNISEB e especialista em Desenvolvimento Humano de Gestores pela FGV, Juliana é coach certificada e membro do ICF, honrando, atuando e partilhando do código de ética regido por esta que é uma das mais respeitadas instituições regulamentadoras de Coaching no mundo, desde 2012 com certificações em personal, professional e executive coaching

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Av. D, esquina com Rua 9, nº 419, Ed. Comercial Marista, 4º Andar, Setor Marista, Goiânia - GO
Uncopyright - Todo o conteúdo deste site está no domínio público. Abro mão de quaisquer direitos de uso sobre meu trabalho. Se você quiser usar meu conteúdo, não se preocupe em me escrever pedindo permissão. Aqui está ela: use como quiser, mande para os amigos, imprima e cole por aí, copie no seu blog ou site à vontade. Se puder colocar os créditos e link para o meu site, fico agradecida. Mas não exijo isso. Meu objetivo é transmitir estas mensagens para o maior número de leitores possível, então, estou desapegando – dentre tantas outras coisas – dos meus direitos.