Mulheres e a organização em meio aos seus tantos papéis

06 Nov

CARAMBA! Não. Você não leu errado. É com essa expressão que inicio esse texto sim, afinal, nunca imaginei que a chegada de um bebê mudaria tanto a minha vida!

Quando estava gestante de seis meses, passei algumas semanas na casa de uns amigos em Portugal (existe um texto aqui no blog relatando essa experiência. Depois confere lá!), em que muito falamos a respeito das mudanças que ocorrem com a vinda dos filhos. O casal de amigos que me recebeu têm um casal de "anjinhos" atualmente com 6 e 3 anos. Falamos, vivenciei tantas coisas e mesmo assim achava que "comigo seria diferente"...mero engano!

Se alguma mulher disser que filho não muda a vida (não no sentido romântico da questão, porque ainda assim, mudando tanto a rotina, é a coisa mais maravilhosa do mundo), das duas uma: ou está mentindo pra você, ou é daquelas mães que terceirizam tudo: tem babá, cozinheira, enfermeira, empregada, lavadeira...e tantas outras "eiras" para realizarem todas as funções árduas da maternidade!

A mudança é literal! Um filho te vira de pernas pro ar em todos os sentidos!

Falando sobre mim...

Antes da Laura: Sempre fui uma pessoa muito organizada com tudo. Impecável com horários, com gavetas, com limpeza e com tudo relacionado ao meu trabalho...sempre fui caxias.

Depois da Laura: Continuo tentando tudo isso...rs...mas confesso, é exaustivo!

Conciliar os papéis de mulher, filha, esposa, irmã, amiga, administradora do lar e profissional era, digamos, tranquilo para mim. Agora, conciliar tudo isso com o papel de mãe é uma loucura!!!

Primeiro porque mãe é a prioridade...a bola da vez! Existe um ser que é totalmente dependente de você para tudo. Então, acabamos deixando todos os outros papéis em segundo, terceiro...décimo plano! Confesso que muitas vezes me lembrei de escovar os dentes às quatro da tarde. Até aí eu já tinha lavado, limpado, cozinhado, dado banho, brincado. lido, alimentado....ufa...

Entretanto...a loucura aos poucos vai passando (GRAÇAS A DEUS POR ISSO) e você aprendendo a se organizar dentro de cada papel. Aprendemos a administrar o tempo e se a memória falha (acredite: a maternidade afeta e muito a memória), aprendemos a recorrer à santa agenda que nos lembra dos remédios, das ligações que precisam acontecer e datas importantes que não podem ser esquecidas. Aprendemos a adaptar nossos horários, se queremos continuar atuando no mercado de trabalho e até para nos exercitar.

No retorno de seis meses ao obstetra, meu esposo perguntou a ele quando eu poderia engravidar novamente (PIROU TOTAL! HAHAHAHA...). Ele olhou bem no fundo dos meus olhos e me disse:" seu arco íris" está negro. Primeiro precisamos deixar tudo colorido novamente e depois pensaremos nisso!" Eu, sem entender a expressão, pedi que fosse um pouco mais claro e ele me passou "aquele pito". Me disse que eu transpirava cansaço e que não estava mais me cuidando porque nem batom eu havia passado aquele dia. Pensei sozinha: "Gente, esse médico leu minha alma! Quero abraçar e chorar no ombro dele até amanhã!" - Me contive! Rs... Ele me viu por dentro e aquele "pito" foi pra mim um ACORDA! Desde então, passei a tirar uma hora do meu dia só pra mim. Nessa minha hora, eu faço atividade física, leio, escrevo, oro, faço as MINHAS coisas...

Você deve estar aí se perguntando: "Que hora é essa já que um bebê consome todas as nossas horas do dia?" Questionamento certeiro... Laura quer todas as minhas horas pra ela... então, tiro das 04h às 05h da manhã para fazer isso... para cuidar de mim! Esse horário é certeza que ela está em sono profundo e que não irá acordar pra mamar ou perder o sono pra brincar.

É meus amigos! Me lembro sempre da frase: Por trás de um "eu não consigo", sempre existe um "eu não quero" camuflado. E é verdade! Pra quem já vive uma privação de sono constante desde a gestação, acordar as 04h é quase "desumano" né?! Peeeeeeeeeeeénnnnnn...ERRADO! É justamente o contrário! É maravilhoso! Eu durmo todos os dias pensando que já já vou acordar e começar o dia da melhor forma possível...comigo mesma, cuidando de mim!

Para conciliar todos os papéis que temos com o de mãe é preciso além de muita organização, DISPOSIÇÃO! É preciso querer MUITO porque aos poucos o marido cobra, os pais cobram, amigos cobram...todos querem aquele pedacinho que antes você doava pra eles e que hoje desapareceu!

Minha filhinha hoje já tem um pouco mais de autonomia e independência em algumas coisas. Está com 8 meses e já dorme um pouquinho (eu disse pouquinho tá gente) melhor, brinca sozinha por alguns minutos e me deixa fazer algumas coisas com ela ao meu lado no carrinho (desde que não ultrapasse meia hora...porque aí a birra acontece). Tive momentos em que pensei que enlouqueceria. Outros momentos em que pensei sobre o porque demorei tanto pra me tornar mãe. Todas essas divagações sempre me levaram à duas únicas respostas: EXISTE UM TEMPO CERTO PARA TUDO e TUDO ISSO PASSA! Sim...até pra pirar tem o tempo certo! A quase loucura nos trás de volta ao chão e nos deixa mais maduras e experientes. E quanto a passar...passa sim! E até a fase difícil deixa saudades porque passa tudo muito rápido!!!

É preciso aproveitar bem cada momento da nossa vida e vivê-la de fato! A maternidade nos ajuda muito nisso, porque acho difícil, com uma rotina tão frenética quanto a minha, eu simplesmente sobreviver! Eu tenho sim vivido de forma INTENSA! Vivo tudo de uma maneira muito mais forte...a cada instante. E com um desejo latente de ser melhor a cada momento para que minha filha se torne uma cidadã de bem, uma pessoa bacana pelos exemplos que tem dentro de casa. Quero desempenhar com excelência cada um dos meus papéis para que, além de atender a minha demanda e a de todos que me cercam, ela cresça sentindo orgulho de mim, vendo o meu esforço em melhorar e me desenvolver a cada dia.

Fórmula mágica não existe! Existe sim é força de vontade, amor a vida e desejo de crescimento para desempenhar as tantas facetas que cada uma de nós, mulheres, temos e desempenhamos!

Força e sucesso pra você...

Juliana Rassi

Formada em Administração de Empresas pelo UNISEB e especialista em Desenvolvimento Humano de Gestores pela FGV, Juliana é coach certificada e membro do ICF, honrando, atuando e partilhando do código de ética regido por esta que é uma das mais respeitadas instituições regulamentadoras de Coaching no mundo, desde 2012 com certificações em personal, professional e executive coaching

Mais nesta categoria: 4 Meses Depois... »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Av. D, esquina com Rua 9, nº 419, Ed. Comercial Marista, 4º Andar, Setor Marista, Goiânia - GO
Uncopyright - Todo o conteúdo deste site está no domínio público. Abro mão de quaisquer direitos de uso sobre meu trabalho. Se você quiser usar meu conteúdo, não se preocupe em me escrever pedindo permissão. Aqui está ela: use como quiser, mande para os amigos, imprima e cole por aí, copie no seu blog ou site à vontade. Se puder colocar os créditos e link para o meu site, fico agradecida. Mas não exijo isso. Meu objetivo é transmitir estas mensagens para o maior número de leitores possível, então, estou desapegando – dentre tantas outras coisas – dos meus direitos.